domingo, 14 de agosto de 2016

Processo Seletivo 2016.2



A Cheiro Verde Jr. inicia seu processo seletivo de 2016.2 para captação de novos membros e esse é o momento para alunos de Gastronomia e Nutrição entrarem em uma experiência acadêmica e profissional enriquecedora. A inscrição pode ser feita neste formulário

Público alvo: Estudantes de nutrição e gastronomia da UFBA.  

Importante! Acesse o edital do Processo Seletivo para mais informações.

Atenção! As inscrições são por tempo limitado, então fique ligado nas datas!



terça-feira, 8 de março de 2016

Abará: cultura e sabor



     Hoje vamos falar de uma comida bem popular nas ruas e restaurantes do nosso estado (Bahia), onde a maioria da sua população é negra.
    O abará é um alimento de origem africana à base de feijão de corda moído; em cada lugar da Bahia ele leva alguns temperos diferentes, porém sempre estão presentes a cebola, o camarão e o azeite de dendê. Para dar o seu formato característico, na hora cozimento a massa é enrolada em folhas de bananeira.
   Os seus acompanhamentos são o vatapá, o caruru, a salada e o camarão. Como a massa dele é cozida,(diferente do acarajé) ganha-se muito em sabor sem a necessidade de submete-lo a fritura, sendo assim uma boa opção para quem não abre mão dos temperos e sabores baianos mas quer manter uma alimentação saudável, pode-se também retirar um dos acompanhamentos que é rico em farinha de trigo e leite que é o vatapá, e então basicamente você estará comendo feijão, quiabo, tomate, cebola e camarão.
     O camarão é uma proteína com percentual baixo em gordura, porém na recita original da massa se coloca o camarão comprado seco e salgado. Para substituir esse grande teor de sódio há a possibilidade de comprar o camarão fresco, salgá-lo em casa com muito menos sal e desidratá-lo, caso você opte por prepará-lo em casa.



Vamos a recita da massa:
. 500g de feijão fradinho
. 6 folhas médias de bananeira cortadas em pedaços de 10 X 20cm
. 1 cebola grande cortadas em pedaços
. 200g de camarão seco defumado sem casca
. 1 colher de chá de gengibre ralado

. ¼ de xícara de azeite de dendê 

Modo de preparo;
Colocar o feijão fradinho de molho, ir trocando de água para soltar a pele e o olhinho preto, triturá-lo num processador; 
Triturar a grosso modo o camarão seco;
Descascar a cebola;
Passar as folhas de bananeira no fogo para poder dobrá-las;
Passar no liquidificador a cebola juntamente com a água e o gengibre até obter uma massa homogênea;
Colocar a massa do feijão numa panela juntar a cebola batida com o gengibre, bater com as costas da colher de pau até a massa ficar aerada, ela aumenta o tamanho; a massa fica numa textura de um mingau grosso (obs. quanto mais a massa batida mais fica macio o abará).
Temperar com os azeites e sal se necessário.
Cortar as aparas das folhas de banana e cortá-las em pedaços de +- uns 15 cm de largura.
Apanhar com uma colher de sopa a massa e enrolar na folha de banana, de forma triangulada, colocar para cozinhar num cuscuzeiro no vapor por uns 40 minutos até adquirir a consistência dura.
É só provar e pronto.

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Processo Seletivo 2016.1

Bom dia!



Aos estudantes de gastronomia e nutrição da UFBA, já estão abertas as inscrições para o processo seletivo Cheiro Verde Jr 2016.1


Fiquem atentos as datas!

Segue o link para a inscrição: https://docs.google.com/forms/d/17FajuEk7kmyPQ9s5wAc4d3W0u2rVmIX5AapHSW3ii08/edit?usp=forms_home

O link do edital: https://docs.google.com/document/d/1Q2iuKUFrNzeFqacSOG30Mt_ZzvFta9kKNaOSofkT10w/edit

**O link da errata do edital: https://docs.google.com/document/d/1utFPbl9xIdSaiZwi6MejGQS7tWhdSG3U8fGMK1XBmQw/edit

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Lactose:vilã ou mocinha?

   
   Com as redes sociais em alta todo tipo de informação está ao nosso alcance a um simples clique, inclusive sobre alimentação. Muitas pessoas compartilham sua alimentação diária, algumas causando até certo terrorismo nutricional em seus posts: “se você quer emagrecer, não coma isso”, “não pode”, e alguns alimentos acabam por ser “demonizados”. Surgiu a moda do LacFree e o leite se tornou uma das vítimas desse terrorismo. Mas afinal, pode ou não consumir leite se o objetivo é emagrecimento? Sobre o uso de lácteos permeiam vários mitos, por isso vamos esclarecer aqui que:

● Leite não engrossa a pele
● Retirar lactose não, necessariamente, emagrece.
● Leite não causa câncer
● Leite não está relacionado com diabetes
● Leite não dificulta a perda de gordura

   De acordo com alguns profissionais de saúde a produção de lactase, enzima responsável pela quebra do açúcar do leite, diminui com o passar dos anos. Assim, a lactose mal digerida causaria sensação de estufamento, além de inflamações, e ganho de peso devido à proteína do leite. D e fato, pessoas que têm intolerância à lactose podem sofrer um estufamento devido à fermentação excessiva e, quando o alimento é cortado, a barriga irá desinchar. Porém, quem não tem intolerância à lactose pode consumir o alimento sem correr este risco. Um estudo recente elaborado por pesquisadores ingleses em forma de revisão traz diversos aspectos do consumo do leite em vários países do mundo e pela conclusão dos autores o leite é neutro ou benéfico para o controle de peso, doença coronariana, diabetes, hipertensão e a maioria dos tipos de câncer. De acordo com outro estudo feito com a população brasileira publicado no American Journal of Clinical Nutrition esse ano mostrou que o leite e os derivados não estão associados com diabetes, inclusive, os pesquisadores sugerem que pode haver efeito preventivo.

 

   Não existe relação entre o leite e os seus derivados e o sobrepeso ou obesidade. "O que acontece é que quando você retira esses alimentos provavelmente irá diminuir as calorias ingeridas e se elas não forem substituídas a pessoa consome menos e irá emagrecer", explica o nutrólogo Roberto Navarro. Duas meta-análises, ainda, evidenciaram que o consumo de leites e derivados pode ser uma boa estratégica quando se pensa em emagrecimento com qualidade, sendo benéfico para aumentar a perda de gordura corporal e preservar a massa muscular e consequentemente o metabolismo do indivíduo. (DeVries. Supplemental Protein in Support of Muscle Mass and Health Advantage Whey. 2015)
   Uma revisão publicada por pesquisadores Canadenses do Departamento de Cinesiologia da Faculdade de Ciências da Universidade McMaster mostrou que o consumo de leite e os seus derivados afetam positivamente a composição corporal em mulheres, promovendo a perda de gordura e manutenção da massa magra associado ao treinamento de musculação.
   O alimento também proporciona saciedade. Uma pesquisa cita que a proteína e a gordura saturada do leite têm um efeito maior na saciedade. O estudo observou que pessoas que fazem dieta e não retiram o leite ficam saciadas por mais tempo do que aquelas que deixam de ingerir o alimento.
   Além disso o leite possui outros inúmeros nutrientes benéficos ao bom funcionamento do corpo humano e para finalizar, deixo a referência de mais um artigo, publicado no Journal of The American College of Nutrition, pelo grupo de pesquisa do Fréderic Gaucheron (PhD), intitulado “Leite e derivados: Uma única combinação de nutrientes”. O trabalho mostra claramente que o leite e os seus derivados (queijos e iogurtes) possuem diversos nutrientes como cálcio, magnésio, zinco, selênio, vitaminas A, B1, B2 e B12, e cita diversos benefícios com essa combinação de micronutrientes associando a ingestão do leite e derivados.
   Concluímos então, que o leite e seus derivados não são vilões, devemos sempre levar em consideração as individualidades biológicas. Quem é intolerante ou alérgico a componentes do leite deve procurar um nutricionista para que a carência dos nutrientes seja suprida. Do contrário não há contra indicação, porém, como em tudo, não se deve exagerar.
    Agora segue uma receita prática,perfeita para café da manhã ou lanches e com lactose (ou sem rs):

Muffin de Canela

                                   
Ingredientes:
● 1 xícara (chá) de farinha de trigo (ou outra farinha de sua preferência)
● ½ xícara (chá) de açúcar mascavo
● 3 ovos
● 6 colheres (sopa) de leite (integral, desnatado, de coco,de arroz,…)
● 6 colheres (sopa) de óleo (girassol, milho ou coco)
● 1 colher (café) de canela em pó
● 1 colher (café) de fermento em pó
Modo de preparo:
1. Leve à batedeira os ovos com o açúcar até dobrar de volume.
2. Após, adicione o leite, o óleo e, delicadamente, a farinha de trigo, a canela e o fermento.
3. Em forminhas, untadas e enfarinhadas, coloque a massa e leve ao forno preaquecido a 185°C por, aproximadamente, 35 minutos ou até dourar.
4. Se quiser, polvilhe com canela.

Referências:
Dieta sem lactose não é mais indicada para quem quer emagrecer -
http://www.minhavida.com.br/alimentacao/materias/17430-dieta-sem-lactose-nao-e-a-mais-indicada-para-quem-quer-emagrecer-afirmam-especialistas “Associations of dairy intake with glycemia and independent of obesity, in Brazilian adults: the Brazilian Longitudinal Study of Adult Health (ELSA-Brasil)” Am J Clin Nutr 2015;101:775–82.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Os ovos e suas polêmicas: vilão ou mocinho?





Por: Amanda Moreira

O ovo é o segundo maior alimento rico em nutrientes, perdendo apenas para o leite materno. Em sua composição tem-se maior parte de água, seguido de proteínas, lipídios, sais minerais, pequenas quantidades de carboidrato, vitaminas do complexo B, vitaminas lipossolúveis, cálcio, ferro, enxofre e lectina. Ufa!!! São muitos nutrientes em um alimento tão pequeno e de tão fácil acesso.  Para conhecer mais sobre o ovo e retirar suas dúvidas, preparamos MITOS E VERDADES sobre o OVO de galinha, segundo a EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).
1.      Ovo cru faz mal? VERDADE
Deve-se evitar o consumo de ovo cru, maioneses caseiras e ovos mal passados, principalmente quando não se conhece a procedência e modo de conservação desses ovos, se estes foram bem lavados etc. Pois no ovo cru encontra-se a proteína avidina que ao se ligar fortemente a biotina impedindo a absorção dessa importante vitamina. 
2.      É verdade que o ovo provoca doenças? MITO
Não necessariamente o ovo, mas o microrganismo contido em ovos contaminados. Desta forma ovo serve de meio de cultura para a Salmonela. É importante entender que a contaminação do ovo é devido a exposição do mesmo à ambientes mal higienizados e a altas temperaturas. Por isso a importância de um manejo, higiene e armazenamento sob refrigeração adequado, tanto no supermercado, nas feiras, nas granjas, quanto em domicílios.
3.      É necessário lavar os ovos? DEPENDE
Por que depende? Porque deve-se lavar o ovo na hora que você for usar. Porém, não deve-se lavar os ovos quando for armazená-los, pois eles possuem uma película protetora, que impede a passagem de microrganismos, no momento em que você lava essa película é retirada, desta forma o ovo fica vulnerável, dentro da geladeira (onde deve-se armazená-los), à microrganismos.
Então lave os ovos apenas na hora que for usá-los.
4.      O ovo aumenta o colesterol? MITO
Há tempos o ovo foi considerado vilão da dieta, mas estudos recentes mostram a relação de inversa entre o consumo de ovo de galinha e ou aumento de colesterol, sendo prejudicial à saúde. Estudos mostram que o consumo de ovos traz benefícios à saúde (memória, capacidade cognitiva e formação de neurônios), além de mostrarem que doenças cardiovasculares estão associadas à má alimentação e sensibilidade hereditária, e não ao consumo de ovos. No entanto, é importante saber que tudo em excesso faz mal de alguma forma. Por isso é ideal consumir níveis adequados deste alimento, e sob recomendação de um nutricionista.
5.     O ovo é um alimento tão completo que concentra todos os nutrientes essenciais, com exceção apenas da vitamina C. VERDADE
Ele é rico em diversos nutrientes importante para organismo. Possui proteínas essenciais para integridade óssea, muscular e cartilagens. Na clara tem-se a albumina, proteína de alto valor biológico para natureza. O ovo também atua no sistema imunológico, por conter ferro e zinco, além de ser melhorar a oxigenação muscular, por isso é utilizado bastante por praticantes de atividades físicas. Sem contar que a gema é rica em luteína e zeaxantina, nutrientes importantes para a saúde dos olhos.

Conclusão
O ovo é rico em aminoácidos essenciais, por ser uma proteína de origem animal. Além de ferro, zinco, cálcio, água, vitaminas do complexo B etc.
E não é estudos suficientes que comprovem a relação de consumo de ovos com doenças cardiovasculares.
No entanto, é importante ficar atenta(o) ao manejo, higienização e armazenamento desse alimento, para evitar contaminação e problemas à saúde. Deve-se também consultar um profissional de nutrição para saber a quantidade adequada para seu consumo, pois cada individuo necessita de determinada quantidade de nutrientes.

Agora que os mistérios foram desvendados e você já conhece alguns dos benefícios dos ovos, é hora de aprender uma receita e se deliciar com uma opção saudável e nutritiva.

Omelete ao forno com espinafre:
DSC02085


Ingredientes:
  • 4 ovos
  • meio maço de espinafre
  • 2 dentes de alho cortados em pedaços pequenos
  • Meia cebola cortada em cubinhos
  • Pedaços de ricota, queijo minas ou frescatino
  • Sal e pimenta do reino a gosto
  • Meia xícara de água gelada (para deixar a omelete fofinha)

Modo de Preparo:
Bata bem os quatro ovos (pode ser com um garfo mesmo)
Pegue as folhas do espinafre e rasgue-as em pedaços um pouco menores (cruas e bem lavadas). Junte-as aos ovos batidos
Agora junte a cebola, o alho, o queijo, o sal e a pimenta do reino. Mexa bem.
Junte a água gelada.
Pronto!!! Agora é só colocar em um refratário médio, ou em panelinhas pequenas (porções individuais) e levar ao forno pré-aquecido, a mais ou menos 180 graus, por cerca de 30 minutos ou até que fique douradinho na parte de cima.
Ahhhh… se você não gosta de espinafre, substitua por brócolis, cenoura, milho, couve-flor ou o legume que você preferir!



Fontes:

EMBRAPA, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. CIAS, Central de Inteligência de Aves e Suínos. 2013. Acessado em: 08 de maio de 2015. Disponível em: < http://www.cnpsa.embrapa.br/cias/index.php?option=com_content&view=article&id=16:ovos-mitos-e-verdades&catid=6:ovos-publico&Itemid=30>


NOVELLO, D. et al. Ovo: Conceitos, análises e controvérsias na saúde humana. UNICENTRO – Universidade Estadual do Centro-Oeste- PR. Brasil, 2006. Archivos Latinoamericanos de Nutrición; v.56 n.4 Caracas dic. 2006. Acesso em: 08 de maio de 2015. Disponível em: < http://www.scielo.org.ve/scielo.php?pid=S0004-06222006000400001&script=sci_arttext>[

http://www.temdelicia.com/recipe/omelete-de-forno-com-espinafre/

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Substituição do sal por ervas


 
Por: Vandeane Silva

O sal é de tamanha importância que sua historia pode ser contada através dos registros do surgimento das civilizações. Na antiguidade por ser escasso e precioso, o sal já foi vendido a peso de ouro. Em 4000 a.C. os egípcios já utilizavam o sal para conservar os alimentos. Os gregos e romanos utilizavam o sal como moeda de troca, A palavra salário vem do grego “Salarium” que deriva do sal, uma vez que em sal se pagava uma parte do ganho dos soldados romanos. Até o século XVIII, O saleiro definia o local onde cada comensal se sentaria durante o banquete. À cabeceira, acima do sal, sentavam-se o anfitrião e os convidados mais ilustres. Os menos nobres ficavam abaixo do sal, mais distantes do anfitrião.

                         



O Cloreto de sódio (sal de cozinha) é importante para várias funções fisiológicas do organismo, principalmente regular a quantidade de líquidos que ficam dentro e fora das nossas células. Porém, apesar de ser fundamental, adicionar sal à dieta não é necessário, pois a quantidade que nosso organismo precisa é encontrada nos alimentos in natura. Alimentos proteicos contêm mais sódio do que os vegetais e grãos, já as frutas e hortaliças são pobres em sódio. E de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o consumo de sal deve ser de no máximo 5g/dia, o que equivale a uma colher de chá. E de acordo com as VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão, a recomendação para o consumo de sal é de também 5g por dia sendo 3g de sal adicionado e 2g do sal dos alimentos in natura. Porem a média do consumo de sal no Brasil é o dobro do recomendado entre 10 a 12g/dia. O que se tornou um problema de saúde publica já que o consumo exagerado de sal provoca alterações na quantidade de líquidos que ficam dentro e fora de nossas células, o que levando o organismo a reter mais água, prejudicando a flexibilidade das artérias fazendo com que o sangue circule com pressão elevada, causando lesões na fina camada que recobre os vasos, o que leva ao endurecimento e entupimento dos mesmos. Podendo sobrecarregar o coração e os rins, originando hipertensão arterial, que atualmente atinge 22,3% da população brasileira, e hoje é a principal causa de morte no mundo, pois favorece a uma série de outras doenças.
O sal não é o vilão da alimentação, mas reduzir a quantidade é uma boa ideia, e para isso, é preciso encontrar alternativas para temperar os pratos.  Alem de consumir o mínimo possível de alimentos industrializados que são ricos em sódio. A melhor forma de diminuir o consumo de sal é substituí-lo por ervas, especiarias e condimentos que além de saudáveis irão dar aromas e sabores deliciosos as nossas comidinhas deixando-as tão saborosas quanto o sal.


Azeite aromatizado

Utilize pimenta dedo de moça, dente de alho, alecrim, manjericão ou outras ervas de sua preferência dentro do azeite de oliva extra virgem para dar sabores e aromas diferentes para você temperar salada, refogar a comida ou comer com pão e torradinha.

Marinada
Use vinho, suco de laranja ou suco de limão, acrescente cebola, alho, alecrim, coentro, sálvia, tomilho, louro ou outros temperos. Coloque a carne de sua preferência dentro dessa marinada e coloque a na geladeira de repouso, o tempero deixa a carne saudável e saborosa.

Caldo de legumes
Ao invés de utilizar cubinhos de caldos industrializados que são ricos em sódio, você pode fazê-los em sua casa seu próprio caldo cozinhando alho, alho-poró, louro, orégano, aipo e cenoura com água. Coe e congele e forminhas de gelo. Pode ser feito também de outros sabores, acrescente aves e você terá caldo de aves.

Mix de ervas
Usando um moedor, prepare várias ervas aromáticas desidratadas e condimentos (orégano, manjericão, alecrim, semente de mostarda, cominho e pimenta do reino ou outras de sua preferência) para obter uma mistura fina que pode ser colocada no saleiro e utilizada à vontade na preparação a finalização de pratos em substituição do sal.

Para encerrar em grande estilo não poderia faltar uma receita, né? Hora de colocar a mão na massa! 

FETTUCCINE AO MOLHO PESTO




Ingredientes:


             Molho:

  2 dentes de alho pequeno
  1 maço de folhas de manjericão
  Pimenta-do-reino a gosto
  1 xícara (chá) de azeite
  1 colher (sopa) de óleo de gergelim tostado
  2 colheres (sopa) de água
  100 g de queijo parmesão ralado
   50 g de castanha de caju ou nozes
            
               Massa:
   500 g de Fettuccine
   Suco de ½ limão siciliano
   1 fio de azeite aromatizado
Modo de preparo:

Molho
Num liquidificador coloque 2 dentes de alho pequeno, 1 maço de folhas de manjericão, sal e pimenta-do-reino a gosto, 1 xícara (chá) de azeite, 1 colher (sopa) de óleo de gergelim tostado, 2 colheres (sopa) de água, 100 g de queijo parmesão ralado, 50 g de castanha de caju ou nozes e bata até formar uma pasta. Desligue o liquidificador e reserve.
Massa
Coloque numa panela com bastante água fervente 500 g de fettuccine e cozinhe por 8 minutos. Retire      do fogo e escorra. Transfira o fettuccine (já cozido) para um refratário, adicione suco de ½ limão siciliano, 1 fio de azeite aromatizado e misture.



Referências:
·http://www.salcisne.com.br/conhecimentos-reais.php http://www.anutricionista.com/ervas-e-especiarias-uma-opcao-para-dar-sabor-ao-alimento.html
· http://www.nutricaoempauta.com.br/lista_artigo.php?cod=2041

· http://www.atribunamt.com.br/2014/01/beneficios-e-maleficios-do-sodio/